Parte II

Capítulo Anterior: Android 0.5, Milestone 3 – A primeira build pública

Android 0.5, Milestone 5 – Interface que… não era interface

A primeira grande mudança no Android chegou 3 meses depois do lançamento do primeiro emulador: a build “m5-rc14”. Lançada em Fevereiro de 2008, a “Milestone 5″ deixo o interface à BlackBerry e seguiu um novo caminho com um design renovado – foi a primeira tentativa da Google para um interface amigo dos “dedos”.

Esta build ainda era identificada como “Android 0.5”, mas a Milestone 5 era muito diferente da primeira versão do Android. Algumas funcionalidade básicas do actual Android têm a sua linhagem ligada a esta versão. O layout e a funcionalidade do painel de notificações estavam quase prontos para o seu lançamento, assim como outras funções para além da mudança de estilo. O Android 1.0 estava apenas a 8 meses do seu lançamento, e o básico de um Sistema Operativo estava a formar-se.homescree052n

Uma coisa que não estava definitivamente acabada era o ecrã inicial. Era um único ecrã não configurável, com uma gaveta de aplicações e uma dock. Os ícones era umas bolhas de 3 cores, envoltos num quadrado branco. A gaveta de aplicações consistia num botão “All” no canto inferior direito, e ao ser clicado abria uma lista para a esquerda. Por cima do botão “All” existia uma dock com dois botões “Contacts” e “Dialer”, que estavam permanentemente no ecrã inicial. Os blocos acima eram uma versão inicial das “Aplicações Recentes”, que mostrava as ultimas aplicações acedidas. Sem ecrãs à esquerda ou direita e uma coluna inteira ocupada pela dock e aplicações recentes, este layout apenas suportava 21 quadrados de aplicações até estar completamente cheio. O emulador apenas suportava um mínimo de aplicações, mas nos dias de hoje, não parece que este layout fosse muito funcional.

Pressionando o botão de “terminar chamada” fazia aparecer uma versão inicial do “power menu”, que podemos ver na imagem acima. A Google a actual nomenclatura dos smartphones: o “Turn Off Screen” seria o actual “Lock screen” e o “Turn Off Radio” seria o “modo de avião” dos dias de hoje.

From left to right: the surprisingly modern notification panel, the menu open in Google Maps (Maps doesn't work anymore), and the new finger-friendly list view.

A Google já tinha desenvolvido o básico do painel de notificações. Era aberto deslizando do cimo do ecrã, tal e qual acontece nos dias de hoje. A primeira versão do painel de notificações era um painel branco e opaco, com um “puxador” no fundo com um ponto laranja ao centro. Era possível clicar nas aplicações, abrindo a aplicação da mesma.

Algumas notificações ficavam no cimo desse painel, como é o caso das chamadas. Apenas era possível “limpar” as notificações depois de abrir a aplicação que as tinha criado. Surpreendentemente, era possível fazer login no Google Talk com uma conexão XMPP incorporada. Mas enquanto as notificações apareciam como “new chat message,” não existia qualquer aplicação de mensagens instantâneas..

O design do Milestone 5 era todo novo. Os ícones haviam sido redesenhados, e o menu tinha evoluído do estilo de texto “chato” do BlackBerry para uma lista colorida de ícones numa grelha grande. Os ícones do painel de notificação evoluíram de uns simples ícones brancos para uns novos ícones verdes com em estilo “bolha”. Existia uma linha preta por baixo do indicador de sinal que qualquer propósito aparente. A vista em lista da versão anterior não era possível usar com os dedos, por isso a Milestone 5 trouxe este novo layout.

The dialer, recent calls, and an incoming call.

A M5 foi a primeira build a ter um “marcador” e, sendo francos, bastante feio. Os numeros eram mostrados numa barra que tinha um bizarro “backspace” em forma de balão.Os problemas de alinhamento existiam em todo o lado, os números nos botões não estavam alinhados verticalmente e o X no “backspace” não estava alinhado com o balão. Não era sequer possivel começar uma chamada com um botão no ecrã, um botão de hardware era obrigatório.

Pelo contrário, tinham botões no ecrã para atender ou terminar a chamada.

An active call, the disabled touchscreen error message, and the call screen with a second call on hold.

O interface de chamadas parecia normal, mas na prática não fazia sentido. Hoje em dia temos sensores de proximidade para evitar toques indesejados no ecrã durante uma chamada. A Milestone 5 não tinha suporte para tais sensores. A solução encontrada pela Google foi desactivar por completo o ecrã durante uma chamada. Ao mesmo tempo, existiam enormes botões para serem clicados no ecrã. Grandes botões adaptados ao toque, mas simplesmente não era possível tocar em nada.

A M5 incluía algumas “regressões” do que havia sido desenvolvido na Milestone 3. Alguns ícones da versão anterior foram substituídos por texto. Botões como o “mute” não tinham qualquer feedback no ecrã, embora existissem. Chamadas em conferencia simplesmente tinham desaparecido.

The browser’s primary menu, the browser’s <em>secondary</em> menu, the crazy zoom control, and the window interface.

O browser, pela primeira vez, era mais desenhado ao estilo de “botões” de navegação. A navegação funcionava como um menu extra do menu. Em vez de usar uma grelha 3×2 ou 3×4, a Milestone 5 (e muitas versões seguintes do Android) usavam uma lista, na qual era possível fazer scroll para abrir as varias funções. O zoom com o afastar dos dedos (pinch) não era possível (supostamente devido à Apple), por isso o Android usava um controlo estranho, como indica a terceira imagem acima. A Google colocou este controlo no centro do ecrã, mas faria muito mais sentido colocar na lateral ou até no fundo, não interferindo com a visualização. A ultima imagem mostra o sistema de janelas do browser, onde era permitido abrir varias paginas e navegar entre elas.

Google Maps’ layers section screen, search interface, and directions screen.

O Google Maps ainda não funcionava, mas a interface já mostrava alguns updates significativos. Era possível escolher os “layers” do mapa, embora só existissem dois à escolha: Satélite e Tráfego. A barra de pesquisa no topo escondia, estranhamente, a barra de estado, enquanto que a pesquisa de direcções no fundo não o fazia. O botão “enter” da pesquisa era definido por “Go,” Enquanto que na barra inferior existiam umas setas estranhas. Isto mostra algumas das estranhas escolhas do Android nas suas versões mais recentes: duas funções na mesma aplicação que deveriam ser semelhantes, mas que tinham implementações completamente opostas.

Continua…

  • Ricardo Alexandre

    top