Contrariando uma ideia assumida nos últimos 8 anos, investigadores da Universidade do Estado de Oregon acreditam no uso do Potássio com substituto das baterias de Lítio.

lg-g4-bateria

Durante décadas, acreditava-se não ser possível combinar o Potássio com Graphite ou outros ânodos de carbono concentrado. Surpreendido com o facto deste conceito estar abandonado pela investigação  por tanto tempo, o Químico Xiulei Ji mostra todos os progressos alcançados pela sua equipa num artingo publicado no  Journal of the American Chemical Society.

As possibilidades de implementação da nova tecnologia Potássio-Graphite são enormes, a existência deste elemento é 880 vezes superior ao Lítio. Só este facto mostra o quão mais barato esta alternativa pode ser, a mesma no entanto pode ainda sofrer alterações, dadas as dificuldades de integração dos compostos.

Na procura de melhores resultados outros elementos tem sido estudados com o propósito de encontrar um composto capaz de substituir o Graphite.

Os progressos alcançados não permitem no entanto que as baterias de potássio-carbono sejam tão potentes com as baterias de lítio-carbono.

David JiÉ seguro dizer que a densidade energética da bateria de iões de potássio pode nunca exceder a das baterias de iões de lítioafirma Xiulei Ji. No entanto as mesmas podem oferecer maiores ciclos de vida, um menor custo e podem tirar melhor partido dos ânodos de carbono existentes.

Em suma esta tecnologia não suplantará a tecnologia existente, mas o reduzido custo poderá impulsionar o desenvolvimento da mesma. De notar ainda que elementos como o Sódio e o Magnésio estão a ser alvos de investigação nas alternativas ao Lítio.